Na terra do meu pai corria um rio

na terra do meu pai corria um rio

e não era ainda o do tempo

nem eu nadara nas múltiplas

águas de Heraclito, um rio

onde a sombra e o riso

acolhiam o nosso corpo

ainda intacto

no incêndio da manhã

 

na terra do meu pai havia laranjas

e chão, havia sol

e nós ouvíamos a respiração da noite

por dentro das raízes das árvores

e o rio falava com as pedras

e com a luz

e nós corríamos

ou éramos levados pelo vento

 

na terra do meu pai não havia medo

só um rio

e os homens tinham nome

era um rio por coração

era um nome

para um homem.

Posted in: Poesia

Tagged as:

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s