Limiar

é na sombra deste dia, o último,
que suspendo o gesto, o meu gesto,
ainda que a luz se demore
sobre o teu olhar limpo.

Peço ao instante que páre
a ternura irrompe no olhar
que nos ilumina e não há uma palavra,
um verso que nos salve,
não há um nome que escreva este fogo
lento e doloroso, crescendo em nós.

Retenho a lava das palavras, o sonho
que se oculta na nossa voz,
de um limiar ao outro,
a passagem.

Maria joão Cantinho

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s