O número 1 da revista "Café com letras"

Uma nova revista de literatura

No dia 1 de Abril (e não é mentira!) nasceu uma nova revista de literatura lusófona, a revista Café com letras. Esta foi criada pela editora Nota de Rodapé e orgulho-me de ser a directora da mesma, o que se traduz numa imensa responsabilidade perante os leitores que nos acompanham. Deixo aqui as fotografias do lançamento da revista, […]

Rate this:

Read More…

No esplendor das coisas ameaçadas

Profano, profano, profano. Profano o tempo, profana a terra, profana a língua, profana a lei. Tempo e terra, língua e lei, sem outro tamanho que não aquele que por si próprios possam produzir. Causa e consequência, circunstância, condição, isso que a si mesmo, e contra a estrita ideia de civilização, se pesa, se mede e […]

Rate this:

Read More…

Adolfo Casais Monteiro: o estrangeiro definitivo

Uns dizem que os meus versos são tristes,/outros que são abstractos./Mas eu não tenho culpa que a carne da inteligência/seja triste, e inteligente. Adolfo Casais Monteiro, O Estrangeiro Definitivo, 1969. Toda a poesia é impura e se torna pura. Tem barro humano e é barro humano. Adolfo Casais Monteiro, A palavra Essencial, p.83. Passados 43 […]

Rate this:

Read More…
Eduardo Prado Coelho

Nós Fomos Esperados sobre a Terra

Filósofo? Crítico literário? Cronista? Ficcionista? Historiador da cultura? Pensador? Não saberemos muito bem classificar o trabalho imenso de Walter Benjamin, autor que se tornou fundamental em qualquer tentativa para pensar a modernidade e os seus percursos contraditórios. Para uma certa esquerda europeia e sul-americana (foram frequentes as traduções no Brasil, onde se tornou um autor […]

Rate this:

Read More…
Jaime Rocha

O silvo do vento

Jaime Rocha, Lâmina, Língua Morta, Lisboa 2014 “A intensidade metafórica da sua obra, como se verá, é a matriz deste livro, que confirma o percurso de Jaime Rocha como uma voz única na poesia portuguesa actual. Os poemas que compõem o livro já tinham sido anteriormente publicados em antologias, jornais e revistas várias, no período […]

Rate this:

Read More…

Antologia Poética Clepsydra, organizada por Gisela Ramos Rosa

Apresentação de Antologia Poética Clepsydra O vento, poeta, é o caminho. Amadeu Baptista Permitam-me começar com este verso do poeta Amadeu Baptista. Do mesmo modo, Gisela refere o “incerto” e o “indeterminado” como possibilidades de nomeação poética, como este verso me permite o acesso a esta antologia, ao abri-la ao acaso. Gisela Ramos Rosa diz […]

Rate this:

Read More…

A mulher que venceu D. Juan

Marques, Teresa Martins, A Mulher que venceu Don Juan, editora Âncora, 2013. Muito conhecida pela sua obra ensaística, Teresa Martins Marques lançou recentemente o seu primeiro romance. 1989 foi o ano em que a autora venceu o Prémio de Ensaio José Régio com o manuscrito O Eu em Régio: a dicotomia do Logos e do […]

Rate this:

Read More…

Reaprender o mundo na luz da manhã

Quando nasci voltei a reaprender a traduzir o mundo maior (…) Gisela Ramos Rosa Este é o segundo livro da autora, já que o primeiro havia sido publicado em 2006 e intitulava-se Vasos Comunicantes, fruto de um intenso diálogo com a belíssima poesia de António Ramos Rosa, um poeta maior da nossa literatura, recentemente desaparecido. […]

Rate this:

Read More…