Marcia Tiburi: a escrita como o “lugar da ética”

 Há algo que não combina com a hospitalidade portuguesa e Marcia Tiburi. Somos lestos, em Portugal, em receber poetas brasileiros, ficcionistas brasileiros, músicos e artistas brasileiros. Somos lestos, cedemos aos encantos daquela língua que mais se assemelha a um canto e quando regressam ao Brasil têm que deixar garantido o seu regresso. Vejam-se os casos de Caetano Veloso ou de Chico Buarque, de Adriana Calcanhoto, … Continue reading Marcia Tiburi: a escrita como o “lugar da ética”

Rate this:

Do pó

Para o meu pai Talvez seja só isto. Uma mão que anoitece os dias e que impede a luz de permanecer. Não teremos senão o chão que pisamos, o amor que nos é concedido, o quinhão permitido. E lembro-me, recordo-me sempre dos momentos que antecediam a noite e tu chegavas, mas antes de ti chegava a alegria. O riso malandro, o sarcasmo com que a … Continue reading Do pó

Rate this:

De um rio que se sonha e canta

842 A língua que falamos não é apenas uma fonte originária. É também uma respiração. É também um destino. Cada vez é a primeira e a última vez. Haverá mais rios mas só neste, e agora, me banho. E naufrago.   Já não me lembro em que momento mergulhei no leito deste rio que é a escrita e a poesia de Casimiro de Brito. Segui-lhe o … Continue reading De um rio que se sonha e canta

Rate this:

Europa, eira do exílio e da vingança

Rui Nunes, A crisálida. Lisboa: Relógio d’Água, 2016, 46 p. Recebeste mais do que deste para me salvar, como te vou demonstrar. Em primeiro lugar, habitas na terra dos helenos, em vez da dos bárbaros, conheces a justiça e sabes usar das leis, sem recorrer à força.[1] Acolhendo na sua argumentação o valor negativo que adquirira em Atenas o conceito de “bárbaro”, em oposição ao … Continue reading Europa, eira do exílio e da vingança

Rate this:

O trafulhazeco

Roubei a expressão do título a um Amigo. O trafulhazeco é uma variante morfológica do chico-esperto. Todos pertencem à mesma família: vivem da (e na) convicção de que são mais inteligentes do que os outros, possuem uma falta de empatia pelo outro, num grau mais ou menos elevado de psicopatologia. Julgam-se senhores do mundo e, quando descobertos, reagem de forma colérica para intimidar os que … Continue reading O trafulhazeco

Rate this:

Prémios do PEN Clube Português (shortlist)

Short list dos prémios PEN, patrocinados pela DGLAB e divulgada em 28.9.2015, para as obras de Poesia, Ensaio e Narrativa publicadas em 2014: Poesia “A Misericórdia dos Mercados”, de Luís Filipe Castro Mendes; “Entrepoemas”, de J. Alberto de Oliveira; “Os Armários da Noite”, de Alice Vieira; “O Tempo é Renda”, de Isabel Mendes Ferreira; “O Vidro”, de Luís Quintais. Ensaio “António Lobo Antunes. A Desordem … Continue reading Prémios do PEN Clube Português (shortlist)

Rate this:

A nova editora nascida das redes sociais

É de saudar este novo projecto que nasceu das redes sociais e que está a ser um sucesso: a E-Primatur. Com a edição de clássicos, para já, e com pretensão de vir a alargar o seu catálogo, à medida que o seu trabalho se consolidar, o projecto de Hugo Xavier, Pedro Bernardo e João Reis tem tudo para vencer e conquistar o seu lugar no … Continue reading A nova editora nascida das redes sociais

Rate this:

António Cabrita por José Riço Direitinho

Há nomes na literatura portuguesa que se mantêm, desde há vários anos, fora do roteiro dos encontros literários e dos pequenos e grandes festivais. Uns por vontade própria, outros por razões que se mantêm mais ou menos obscuras. José Riço Direitinho, in “Sondar no Escuro”, Público de 21/08/2015. Vejam o resto do artigo justo sobre a obra de António Cabrita aqui, onde José Riço fala sobre Éter. Continue reading António Cabrita por José Riço Direitinho

Rate this:

Entre a poesia e a pintura: Ana Hatherly

Ana Hatherly (1929-2005) foi uma figura maior da cultura portuguesa contemporânea, enquanto poeta, artista plástica, ensaísta e professora. Tendo sido sócia co-fundadora do PEN Clube Português, foi posteriormente membro dos corpos gerentes do PEN até ao ano de 2009 e Presidente do Committee for Translation and Linguistic Rights of International PEN. Ana Hatherly também pertenceu à Direcção da Associação Portuguesa de Escritores (APE). Nascida no Porto, no ano de … Continue reading Entre a poesia e a pintura: Ana Hatherly

Rate this: