“Não quero ser nada”

Entrevista minha concedida a Paulo José Miranda, para o jornal “Hoje Macau” Tens uma obra dividida pelo ensaio e pela poesia, e ambas reconhecidas. Gostava que falasses acerca do modo como entendes cada uma delas, no teu modo de escrita, e também em relação aos outros, ou seja como vês essas escritas para além da […]

Rate this:

Read More…

Do Ofício Poético como Alquimia

O poeta António Gedeão desapareceu há vinte anos. A sua última obra foi Memórias, uma magistral biografia, publicada pela Fundação Calouste Gulbenkian, 2010. Rómulo de Carvalho atravessou o século XX. Nascido no ano de 1906, o poeta conheceu uma vida discreta, longe dos salões literários, que nunca o atraíram. Foi, durante toda a sua vida, […]

Rate this:

Read More…

O Azul de amendoeiras que são brancas

Todo o pensamento começa por um poema. Alain, Commentaire sur «Le Jeune Parque», 1953. Quando as águas da filosofia se cruzam com as da poesia é natural que o rigor do pensamento escape por entre as suas margens e correntes, extravasando-as. O modo como as intuições e as múltiplas figurações do sentido as atravessam desafiam a formulação […]

Rate this:

Read More…

Poemas de Alberto Pereira

 Poema II (Livro – Poemas com Alzheimer)   Os poemas não gostavam do meu bairro. A miséria era um arranha-céus, por isso, quando me perguntavam onde morava, dizia, Nova Iorque.   Havia homens com vinho no lugar do sangue. As mulheres cheiravam a um velório eterno, as crianças diziam coisas que os carteiros desconheciam.   […]

Rate this:

Read More…

Leituras de Verão

O mais recente livro de Jaime Rocha conta a história tragica de Mateus. Nesta narrativa forte e agreste que retorna ao tema do mar da Nazaré, o autor procura fazer uma reconstrução literária das memórias da infância de Mateus, uma experiência dura e que reflecte o destino trágico dos pescadores e das suas famílias. Como […]

Rate this:

Read More…