Uma Poética dos Rastros

Procuro em cada coisa A Palavra de Deus/Olho e olho e nenhum som, gesto ou sopro. Joana Emídio Marques, Ritornelos Joana Emídio Marques, jornalista, publicou recentemente o seu primeiro livro de poesia, Ritornelos. Esta obra reúne três ciclos: “Ritornelos”, “Cânticos da Floresta” e “Litanias”. O título da obra confere-lhes uma unidade temática e musical, no sentido em que a palavra “Ritornelos” designa uma forma musical que … Continue reading Uma Poética dos Rastros

Rate this:

A morte é um Mestre que veio da Alemanha

E grita toquem mais doce a música da morte a morte é um mestre/Que veio da Alemanha(…)  (Celan, Sete Rosas mais Tarde, 1996, pp. 16, 17) A obra de Paul Celan, como sabemos, entrosa numa tradição poética que remonta a Wilhelm von Humboldt (1767-1835) e ganha uma notável expressão na hermenêutica de autores do século XX como Gadamer, Heidegger, George Steiner ou, ainda, Walter Benjamin. … Continue reading A morte é um Mestre que veio da Alemanha

Rate this:

PAUL CELAN: DA ÉTICA DO SILÊNCIO À POÉTICA DO ENCONTRO

Editado por Cristina Beckert, Maria João Cantinho, Carlos João Correia, Ricardo Gil Soeiro   Editado pelo Centro de Filosofia da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e pelo Collège des Études Juives da Universidade Sorbonne IV.   O presente volume contempla os textos apresentados no Colóquio Internacional “Paul Celan: Da Ética do Silêncio à Poética do Encontro”, organizado pelo Centro de Filosofia e pelo … Continue reading PAUL CELAN: DA ÉTICA DO SILÊNCIO À POÉTICA DO ENCONTRO

Rate this:

Paul Celan: Da Ética do Silêncio à Poética do Encontro

Já está mesmo a sair o livro “Paul Celan: Da Ética do Silêncio à Poética do Encontro” co-editado por Cristina Beckert, Carlos João Correia, Ricardo Gil Soeiro e Maria João Cantinho. A capa é uma beleza, do pintor Anselm Kiefer.   Continue reading Paul Celan: Da Ética do Silêncio à Poética do Encontro

Rate this:

Paul Celan

Apresentação da antologia de Celan;Não Sabemos Mesmo o que Importa

“O poema, sendo como é uma forma de aparição da linguagem, é por isso de essência dialógica, o poema pode ser uma garrafa lançada ao mar, abandonada à esperança – decerto muitas vezes ténue – de poder um dia ser recolhida numa qualquer praia, talvez na praia do coração. Também neste sentido os poemas são um caminho: encaminham-se para um destino (…) para um lugar … Continue reading Apresentação da antologia de Celan;Não Sabemos Mesmo o que Importa

Rate this:

Paul Celan

Colóquio Paul Celan

PAUL CELAN: DA ÉTICA DO SILÊNCIO À POÉTICA DO ENCONTRO Paul Celan: From an Ethics of Silence to a Poetics of the Encounter _____________________________________________________________________ 11-12 Outubro de 2012, FLUL e Goethe-Institut, Lisboa. Apresentação Assumindo-se como uma das vozes poéticas mais singulares do século XX, Paul Celan aceitou, na indigência da época, a responsabilidade do Canto. Indevelmente marcado pela experiência do inumano, Celan escreve a partir … Continue reading Colóquio Paul Celan

Rate this: