Afrin

Em Afrin, só a morte canta,

só ela floresce, petrificando,

diante da nossa indiferença gelada, muda.

Rate this:

Read More…
Advertisements